domingo, novembro 05, 2017

Deixa pra ser frio quando morrer

Vi essa foto no Facebook de algum amigo, há algum tempo. Já nem sei mais de qual amigo, aliás. Mas hoje, de alguma forma, ela me tocou mais...

Talvez porque eu esteja querendo que um certo crush (o da vez), que não faz a menor ideia de que é/foi meu crush o fizesse. Talvez porque, mesmo querendo receber uma mensagem ou uma ligação, eu não esteja com coragem, de, novamente, ser eu a pessoa a puxar assunto, nem usando memes...  E olha que se tem algo que eu tenho, esse algo é assunto... Rsrs! Posso conversar com qualquer pessoa sobre quase qualquer tópico. 

É curioso como a gente tá sempre querendo não se mostrar frágil, não se mostrar vulnerável ao outro. Eu sou muito assim. Me cobro muito para ser (ou parecer) sempre forte, às vezes meio inatingível, mas, parando pra pensar, se, em algum momento, um dos dois não baixar a guarda ou superar a timidez, ninguém sai do lugar. 

Voltando a imagem do começo do post, eu vi, li a frase e tomei uma decisão. Mesmo sabendo que já estamos em novembro, e que a época das resoluções já passou bastante. Eu vou mostrar mais às pessoas que gosto, o quanto elas são importantes pra mim, mesmo que elas tenham entrado na minha vida há pouco tempo. Não vai ser fácil! Quem me conhece um pouco mais, sabe o quanto vai ser difícil, o quanto eu prefiro ser procurada, o quanto eu jogo sempre na defesa. Mas agora não, agora vou ser a camisa 11 do meu próprio time. E vamos que vamos...  

Veja também:
- Amor, riqueza e êxito;
- A um passo da felicidade;
- A partir de hoje;
- Presença.

Beijos.

quinta-feira, abril 20, 2017

Todos temos mais a agradecer

Hoje eu vim pro trabalho pensando no título desse post: "todos temos muito mais a agradecer do que a reclamar". Pare um minutinho pra pensar...
Vai lá, eu espero! :-)

Fiquei pensando nisso porque um amigo meu sofreu um acidente de carro. Graças à Deus, ele não sofreu nem um arranhão, mas o carro dele ficou bastante detonado. Ele mandou mensagem pra avisar do ocorrido e nos disse que na manhã do dia seguinte, ele não queria nada além de que nós (do grupo) dessemos um abraço nele. Esse meu amigo é um cara muito do bem, gente boa e se você, como eu, acredita em energia, ele tem uma luz que transborda pros que estão ao seu redor.

De alguma forma, essa fatalidade que aconteceu com ele e o modo como ele lidou com tudo, mexeu comigo e eu refleti bastante sobre o quanto reclamamos de tudo e de todos mas, no fundo mesmo, todos nós, seja em qual condição estivermos, temos muito mais a agradecer do que a reclamar.

Você está vivo, (espero que) com saúde, tem um lugar pra dormir, comida e algumas pessoas que te querem bem. O que mais você pode querer!? Do que mais você vai reclamar!?
Agradeça mais, reclame menos: vale pra mim (muito, porque sou bem drama queen), vale pra você, vale pra todas pessoas ao nosso redor. Repasse essa ideia do agradecimento. Não espere passar pelo infortúnio que meu amigo passou, pra perceber que a gente, de fato, precisa de muito pouco pra ser feliz.

Obrigada!

Veja também:
- Vida passageira;
- O que é ser feliz?
- Entendendo as imperfeições alheias;
- Aproveite bem o seu dia!

Beijos,

sexta-feira, maio 13, 2016

Sobre ciclos e outros fins

Fechar ciclos não é algo trivial. A gente nunca tá preparado pra fechar ciclos... É sempre algo que fazemos (ou somos obrigados a fazer) com um certo grau de dificuldade, de sofrimento, de despreparo, de desespero.
Não deixa de ser curioso que a vida seja um abre/fecha ciclo até o fim dos nossos dias mas que, mesmo assim, não estejamos preparados para a hora do encerramento.

Já parou pra pensar quantas vezes na sua vida você abriu e fechou ciclos: quando você foi pra escola pela primeira vez, quando você terminou o colégio, quando você começou a faculdade, quando você começou a namorar, quando você saiu do seu primeiro emprego?! A vida toda a gente abre um novo ciclo, que muitas vezes até tem prazo pra ser fechado, mas, quando o prazo está chegando, ainda assim rola aquele frio na barriga, aquele sentimento estranho.

O problema maior é quando o ciclo termina sem que você espere: aí é aquela mistura de sentimentos contraditórios, com uma dose de impotência, de "se eu tivesse feito 'x', hoje isso não teria acontecido"... Só que tem muito pouco que possamos fazer, além de encarar com naturalidade esse eterno abre e fecha dos ciclos da vida. 

Que saibamos lidar com o fim, porque se tem algo que sabemos é que dessa vida, a gente não leva nada, mas, que até ela acabar, certeza mesmo, a gente só tem de que as coisas mudam e que os ciclos se fecham.

Veja também:

Beijos.

terça-feira, setembro 29, 2015

O sagrado direito de estar offline

Não atualizo o Leonina, há séculos. Culpa minha, única e exclusivamente minha.
É uma pena, porque adoro escrever, adoro pesquisar sobre o que postar, gosto muito de compartilhar conhecimento, piadas, imagens divertidas e tenho (e gosto de ter) opinião pra tudo: da alta do dólar, passando pelo futebol e chegando em auto-ajuda ou Física.

Mas tem algo que anda me incomodando demais nos últimos tempos: a sensação de ter todo mundo o tempo todo disponível para você, O TEMPO TODO e a sensação de que as pessoas pensam, de verdade, que você TEM QUE estar disponível pra elas o TEMPO TODO!

Não é porque aparece que estou online no Whatsapp ou no Chat do Facebook que eu estou disponível para falar com você, não é porque eu trabalho com o browser aberto ou com o celular conectado que eu posso ou, ainda pior, que eu QUERO falar com você no EXATO momento em que VOCÊ decide falar comigo.

Entende a gravidade disso?
Entende que as pessoas estão virando loucas-controladoras do tempo alheio? As pessoas não aguentam mais esperar por uma resposta, tudo tem que ser PRA HORA QUE EU QUERO e cara, na boa, as coisas não podem ser assim.

Eu trabalho com TI, mais especificamente com WEB, o que me "obriga profissionalmente" a estar bastante conectada. E até no trabalho as pessoas perdem o limite do "estar conectado". Dia desses, postei um desabafo no Facebook (olha eu aí online!) que era, mais ou menos, assim: "Trabalhar via Whatsapp é o primeiro passo para perder sua sanidade mental". E olha, eu estava somente há alguns minutos num grupo de um projeto do trabalho. Um grupo onde as pessoas simplesmente não tem limites. Eu trabalho muito, muito além das 40 horas semanais, mas não é por isso que eu quero que meus finais de semana sejam invadidos por problemas e dúvidas que atrapalham o objetivo final do projeto mas onde eu, especificamente, não tenho nenhuma ação.

Aí você me diz: "Ah, você trabalha com TI, escolheu essa vida!" E eu te respondo: "Sim, gosto muito do que eu faço. Ainda sou daquelas pessoas que trabalha com o que gosta, mas não gosto nada de me sentir invadida, de me sentir sem tempo livre, de me sentir atrasada o tempo todo com problemas onde não tenho o que fazer."

O pior é que isso não acontece só com as pessoas do trabalho. Está todo mundo tão acostumado a ter todas as respostas na hora que ninguém entende mais que você pode não querer ou não poder responder seu interlocutor no momento que ele lhe dirige a palavra.

Eu só queria saber onde foi que erramos, porque olha, erramos feio nisso...

Eu não sei você, mas eu me sinto invadida.
Eu não sei você, mas eu não vou me obrigar a ficar disponível a todo mundo o tempo todo.
Eu não sei você, mas eu vou tentar usar mais o meu sagrado direito de estar offline (mesmo que eu pareça online).

Beijos.

sexta-feira, maio 22, 2015

Pichações Políticas

Recebi um e-mail com frases de pichações políticas na Argentina. Mas olhem, é só substituir Argentina por Brasil que TODAS as frases cabem MUITO bem, talvez um pouco exageradas, talvez nem tanto...

"Estaremos siempre al lado del gobierno....porque si vamos adelante nos coge y si vamos detrás nos caga."
[Estaremos sempre ao lado do governo... porque se vamos a frente nos fode e se vamos atrás nos caga.]

"En Argentina tenemos los mejores parlamentarios... que el dinero pueda comprar."
[Na Argentina temos os melhores parlamentares...que o dinhiero pode comprar.]

"Basta ya de realidades, queremos promesas!"
[Chega de realidades, queremos promessas!]

[O protesto político não é crime]

"El país estaba al borde del abismo y hemos dado un paso al frente."
[O país estava a beira do precipício y demos um passo a frente.]

"La deuda que tiene el país no es externa, es eterna."
[A dívida que o país tem não é externa, é eterna.]

"Las inundaciones no se producen porque los ríos crecen, sino porque el país se hunde."
[As inundações não acontecem porque os rios sobem, e sim porque o país se afunda.]

"Algunos nacen con suerte, otros en Argentina."
[Alguns nascem com sorte, outros na Argentina.]

"Prohibido robar, el gobierno no admite competencia"
[Proibido roubar, o governo não admite concorrência]

"Las putas al poder, porque con los hijos, no nos fue bien."
[Putas no poder, porque com os filhos delas não nos demos bem]

"Este gobierno es como un bikini, nadie sabe como se sostiene pero todos quieren que se caiga."
[Esse governo é como um biquini, ninguém sabe como se sustenta mas todos querem que caia]

"Argentina  es una granja cerrada por falta de huevos."
[Argentina é uma granja fechada por falta de ovos. // Aqui cabe a explicação que não são ovos de galinha, quando ele diz na frase "falta de huevos", quer dizer falta de garra, de vondade...]

Veja também:
- Protesto contra o reajuste do salário mínimo;
- Você é ético?
- Partido Político FDP;
- Consulta informações sobre políticos brasileiros.

Beijos.

quinta-feira, maio 14, 2015

Criatividade na Índia

Indianos, assim como grande parte dos brasileiros, pelo visto, também sempre tem um jeitinho pra quando falta grana e sobra criatividade.

Aquele piquenique maroto na pista do aeroporto:
Aquele piquenique maroto na pista do aeroporto

Alguém consegue decifrar que veículo é esse?
Alguém consegue decifrar que veículo é esse?

A chuva sobe, a rua inunda mas a novela não pode esperar:
A chuva sobe, a rua inunda mas a novela não pode esperar

Paciência de quem atende ou de quem espera?
Paciência de quem atende ou de quem espera?

Bacia a remo:
Bacia a remo

Isso é que é leite quente:
Isso é que é leite quente

Moto à prova d'água?
Moto à prova d'água?

Como levar o material da obra pra casa DE MOTO:
Como levar o material da obra pra casa DE MOTO

Não sei o que escrever de legenda pra isso. Cabelos na orelha já me dão nervoso, isso aqui então...
Cabelos na orelha

Alguém pode dar uma mãozinha pra essa senhora trocar o pneu de um CAMINHÃO?
senhora trocando o pneu de um CAMINHÃO

Como levar o material da obra pra casa de BICICLETA:
Como levar o material da obra pra casa de BICICLETA

Escavação com criança:
Escavação com criança

Reciclagem, gente, reciclagem! Como fazer uma boia com garrafas pet:
boia com garrafas pet

Esse cadeado prendendo um chinelo no outro é pra ninguém roubar? Ou pra se roubar, roubar logo os dois juntos? Alguém me explicaaaaaa!
cadeado prendendo um chinelo no outro

Transporte público de qualidade: tuk-tuk!
tuk-tuk

Aquela maneira eficaz e bonita de levar as crianças pra passear:
levando as crianças pra passear de modo diferente

A moto leva você e você leva a moto:
A moto leva você e você leva a moto

Acho que o dono do chinelo com cadeado ainda não viu essa inovação de prender os chinelos na bicicleta:
prender os chinelos na bicicleta

Isso sim é um bigode grosso e grande. Aliás, isso não é um bigode, é uma obra de arte:
bigode grosso e grande

Vaca é sagrada e pode ficar onde ela bem entender:
Vaca é sagrada e pode ficar onde ela bem entender

Veja também:

Beijos.

quinta-feira, abril 09, 2015

Partido Político FDP

FDP (Freie Demokratische Partei) é o Partido Democrático Liberal alemão, mas, caso existisse no Brasil, poderia ter quase 100% dos políticos nele! Rsrs!