quarta-feira, outubro 21, 2009

A verdade sobre os bairros do Rio

Abolição: Bairro feio, confuso, sujo e degradado. Não é conhecido por nada, uma vez que muitos ignoram sua existência ou pensam ser um sub-bairro. Dominado pelo tráfico.

Baixada Fluminense: Taquiupariu! Este local deveria ser utilizado para testes nucleares internacionais. Nunca vi tanta gente feia aglomerada em um só canto. Gente fedida, cafona, daquelas que usam "Creme de IORGÚTI" pro cabelo ficar cheio de tóim-óim-óim (sempre seboso e pingando nos outros, senão não tem graça nenhuma), andam de micro saias e sandálias borrachão exibindo as varizes e canelas russas e colecionam micoses, sem contar que quase nunca sorriem (deve ser pela falta de dentes), só andam de bicicleta (ou como eles mesmos falam "bicicreta" ou "camelo"), com quatro ou cinco filhos pendurados. Obviamente é dominado pela milícia (tráfico).

Bangu, Realengo, Santa Cruz e Campo Grande: Longe pra caralho, quente pra caralho, perigoso pra caralho e tem gente horrível pra caralhooooooooooo!!! São bairros próximos, próximos de onde Judas perdeu as meias, composto basicamente por conjuntos habitacionais, com paredes mofadas pelo excesso de umidade causada pela enorme quantidade de valões a céu aberto encontrados ali nas redondezas. É habitado, na maioria, por pessoas que não conseguem vaga em nenhum cafofo do centro da cidade pra morar. Sua economia gira em torno de feiras de desmanche de automóveis roubados na Avenida Brasil, produtos de saques e arrastões, leilões de cargas roubadas de caminhões de entrega e venda de animais silvestres capturados nas selvas que ainda não foram invadidas pelos puxadinhos dos mendigos bem sucedidos que lá moram. Bairros generosamente recheados de favelas e obviamente, dominados pelo tráfico e milícia. (Ou, como se diz no dialeto local, é área de Milíça).

Barra: Habitado por emergentes e pseudo-socialites que não têm merda no cú pra morar no Alto Leblon, a Barra da Tijuca é um bairro que adotou o Paulista way of life, onde as pessoas ficam presas em carros e shoppings a maior parte da sua vida. As pessoas da Barra acreditam que moram em Miami, quando na verdade pagam tudo com cartão e cheque especial, e desconhecem a existência de dinheiro, ou de saldo positivo no banco. Dominado pelo tráfico.

Bonsucesso: É o bairro mais mal localizado da cidade, conseguindo a façanha de ser cercado por 17 favelas, e ainda sim ser o bairro mais evoluído da Leopoldina (nem queira saber como são os outros). Bonsucesso é o bairro dos favelados emergentes, que querem ficar perto do trabalho e da família. Além disso, tem um comércio muito diversificado, com lojas de R$1,99, financeiras, puteiros e diversos camelôs fedorentos; além de um desfile diário de kombis malditas e gente feia dentro. Dizem as lendas urbanas que ainda existem uns 142 moradores do bairro por lá, a maioria de classe média, contra as 293.333.344.212.05 favelados que dizem morar lá quando na verdade moram em 'comunidades da casa do caralho'. Interessante notar também que Bonsucesso é o bairro com a maior concentração de viados do subúrbio, tendo desfile noturno de bichas e a única sauna gay da região. Dominado pelo tráfico.

Botafogo: Idêntico ao Flamengo, só que aqui se concentram botafoguenses. O cheiro das praias remete a bosta, por isso é também chamado de 'Bostafogo'. Dominado pelo tráfico.

Braz de Pina: É o bairro (desculpe, favela) com a maior concentração de analfabetos horripilantes da Leopoldina, e um dos mais fodidos da cidade. Nem os moradores sabem dizer se o nome do bairro é 'Bras, Brás ou Braz'. Dominado pelo tráfico.

Cachambi: Quer a todo custo fazer parte do Méier para se passar por nobre, embora o Méier não seja tudo isso. Dominado pelo tráfico.

Cascadura: O bairro (se é que se pode chamar aquela porra de bairro) é composto por favelas e prédios estilo em 'retrô' (retrocedendo à cultura etíope). Infelizmente. O sinal da Av. Ernani Cardoso (a Avenida Paulista de Cascadura) raramente está aberto para as pobres almas que circulam por lá. Fora isso, só resta o bem próximo novo fórum de Campinho (bom pra ficar no ar condicionado de graça) e alguns outros pontos turísticos que fazem os visitantes se sentirem mais importantes. O bom é que a segurança é bem estabelecida, uma vez que os seqüestros-relâmpago são abafados pela maioria da população vizinha (Madureira e Campinho) que tem coisa pior pra contar. É um bairro dominado pelo tráfico.

Centro da Cidade: Habitado de segunda a sexta por executivos e secretárias que movem a economia local usando motéis no horário de almoço, no fim de semana apenas menores de idades viciados em crack utilizam a região. Seus moradores na maioria são os que querem economizar no busão e acordar mais tarde para pegar no batente, por isso recorrem a se esconder em um "Cafofo" entre um puteiro e uma banca de jogo do bicho, num daqueles becos fedidos a mijo e vômito, repleto de ratos e sacos de lixo! E ainda se dizem "Vizinhos da Zona Sul" por isso é formada em sua maioria por zeladores, porteiros, ascensoristas, prostitutas e travestis. A grande emoção nas noitadas ficam por conta de motoristas bêbados que atropelam hidrantes e mendigos, brigas de travecos, pivetes roubando celulares e consumindo cola e etc. Dominado pelo tráfico.
mapa com bairros da cidade do Rio de Janeiro
Copacabana: É habitada por um bando de velhos não-legais que pensam ainda serem da alta sociedade, junto com milhões de emergentes que moram lá apenas por status, apenas 20% da população de Copacabana não é miserável e mora num apê decente. As pessoas de Copacabana tentam imaginar que o Rio é apenas o trecho Copa, Ipanema e Leblon e esquecem que o resto do Rio é todo favela. Também conhecida como Coca-bacana devido ao Copacabana Pallace, hotel que num passado foi cassino/puteiro de luxo que já recebeu mais drogas que todo Complexo do Alemão. Dominado pelo tráfico.

Del Castilho: Se resume a duas coisas: Nova América e favelas. Dominado pelo tráfico.

Encantado: É um bairro que não existe, está cadastrado pela prefeitura por engano. Na verdade é a remanescência de um incidente envolvendo entre o recém-empossado prefeito do Rio em 1879, o Campinense Barão do Anel Frouxo e o cartógrafo ex-escravo carioca João-Pé-de-Mesa. Quando viu o mapa da cidade que o Pé de Mesa tinha feito, havia uma pergunta do cartógrafo destinada ao prefeito no topo: 'Como você está meu amor?', ao que este escreveu: 'Encantado!'. Dominado pelo tráfico.

Engenho de Dentro: É um pardieiro onde foi construída uma privada gigante. Dominado pelo tráfico.

Flamengo: Flamengo é um bairro onde as pessoas pensam que vivem bem, quando na verdade vivem em meio à violência e ao lado de uma praia imunda e fedorenta. Concentra grande quantidade de flamenguistas insuportáveis e geralmente as pessoas só passam por esse bairro quando querem ir a Copacabana ou para ver o Pão-de-Açúcar. Dominado pelo tráfico.

Gávea: Habitado por alunos da PUC e velhas ricas com cara de uva passa, o bairro da Gávea é conhecido por ter 6 teatros mas nenhum McDonald´s. Dominado pelo tráfico.

Glória e Catete: Bairros ultrapassados. Num passado jurássico, já foram bairros luxuosos, mas com o passar dos anos, tanto luxo e requinte esvaíram-se. Hoje, são bairros de passagem habitados por velhos falidos ou emergentes que não tem grana pra ir no mínimo a Copacabana, mas vão morar lá pra dizerem que são da zona sul. Dominados pelo tráfico.

Grajaú: A definição correta para este lugar é 'porra nenhuma', pois todos o consideram Grajaú um sub-bairro, mas não é da Tijuca, nem de Vila Isabel e nem do Méier. Não obstante, é dominado pelo tráfico.

Higienópolis: A 'princesinha da Leopoldina' é na verdade um bairro decadente, feio, perigoso e favelizado, embora seus moradores ainda pensem que o bairro não possui favelas e é um dos mais tranquilos. Ledo engano. Dominado pelo tráfico.

Ilha do Governador: A Ilha é a única favela do mundo cercada de água por todos os lados.

Inhaúma: Bairro feio, mal dividido, confuso, fedido e mórbido. Conhecido por abrigar o cemitério mais pobre e fedido da cidade e também por suas dezenas de favelas. Dominado pelo tráfico.

Ipanema: É um bairro que concentra uma grande quantidade gays e lésbicas. Encontram-se na praia do bairro, mais precisamente em frente à Rua Farme de Amoedo . Também frequentado por lutadores de jiu-jítsu e seus pitbulls (difícil dizer, olhando pras pontas da coleira, quem é o humano e quem é o cachorro), que não raro praticam esportes como dissolver arrastões e dar porrada em viados. E não raro apanham dos viados, porque a cana é doce mas não é mole não. Habitam também a região pessoas esnobes, que fazem compras diárias na Rua Visconde de Pirajá, a Champs-Élysées carioca (carioca porque qualquer cidadão que passa por ela pode ser assaltado por meninos de rua ou pelas gangues das bicicletas armadas) e passeiam com seus poodles nas praças do bairro. É um bairro dominado pelo tráfico.

Irajá: Sede do CEASA, lugar fedorento que por um milagre ainda não faliu, já que é saqueado diariamente por seus nobres vizinhos esfomeados, moradores das dezenas de favelas ao seu redor. Dominado pelo tráfico.

Jacarepaguá: O bairro é na verdade uma colônia de figurantes da GLOBO construída ao lado do Projac. Os moradores deste simpático vilarejo também vivem da venda de souvenirs temáticos do filme de história extremamente fantasiosa 'CIDADE DE DEUS'. Muitas pessoas que moram lá dizem que moram na Barra. Aliás esse lugar só é habitado por que também dá acesso a Barra por que além de ser longe pra caralho o trânsito é sempre infernal isso sem contar com os arrastões e balas perdidas na linha amarela. Dominado pelo tráfico.

Jardim Botânico: Aqui habitam alguns animais e traficantes, além de ser a área mais produtiva agricolamente quando se trata das plantações de ervas (leia-se marijuana) no parque de mesmo nome. Está dominada pelo tráfico.

Lapa: Historicamente ocupado por prostitutas, drogados, mendigos, travestis e cafetões. Hoje em dia é ocupado por jovens pseudo-prostitutas, drogados, mendigos, travestis e cafetões, mas de família e classe média. A Lapa faz parte da boemia carioca, onde existe de tudo, seja de pessoas ou de ritmos. Na verdade, só existem mais cariocas marrentos e muito Funk. É dominada pelo tráfico.

Leblon: É um bairro com muita gente rica que tenta imaginar que o Rio é só aquele pequeno trechinho de Copacabana até o Leblon e tentam não olhar para o lado, se não levam um bombardeio de tiros de uma das favelas que rodeiam o bairro. Seu principal desafeto é a Cruzada São Sebastião, conjunto favelacional no referido bairro. Habitat de Manoel Carlos e de suas novelas. O andamento do projeto de entregar o bairro ao tráfico está 95% concluído.

Maria da Graça: Lugar feio, pobre, deserto e mal localizado. Só passa gente lá pra ir pegar o metrô. Dominado pelo tráfico.

Madureira: O lugar mais quente e zoneado do mundo.O bairro, ou melhor, a favela, atrai pais de santo, "homens" solitários realizados financeiramente, que aí mantém seus confortáveis "cafofos" - ávidos por arranjarem um apadrinhado negão sambista para uma noitada - e tias vendedoras de salgadinhos oriundas de toda cidade em busca dos "produtos de excelente qualidade" comercializados no Mercadão de Madureira, que após o incêndio tentou virar shopping mas mantém o cheiro de cocô de cabra, coelho e galinha. Dominado pelo tráfico.

Maracanã: É uma extensão Mangueira com favelas verticais chamadas por seus habitantes de prédios. Não há nada o que se fazer lá, a não ser que seja um dos estudantes da UERJ, ou gostam de cair na porrada no Maracanã. Aliás, nos arredores UERJ é que encontramos a aristocracia do bairro, composta de estudantes frequentadores de botecos. A emoção mesmo fica por conta da noite, com seus tiroteios. Dominado pelo tráfico.

Méier (ou Meyer): Habitado por gente que gosta de se passar por chique, esquecendo-se que são na verdade, o "coração do subúrbio". Bairro no RJ que possui estação ferroviária é sinônimo de bairro f ... Muitos deles reúnem-se em frente a uma rede fast-food chamada 'Habibs', aonde vivem de curtição, carros e meninas que tentam achar um rico de verdade no meio dos pseudo-ricos. Um bairro no qual existem pseudo-favelas (comunidades que não têm tamanho suficiente nem bandidos malvados o suficiente para serem consideradas favelas). É um bairro da cidade em que os próprios moradores criaram um slogan próprio, o famoso 'Quem é do Méia não Bobéia', para tentar trazer alguma originalidade ... Mas que Mer ... ier ...Dominados pelo tráfico.

Oswaldo Cruz, Bento Ribeiro e Marechal Hermes: Bairros sem graça e esquecidos, que tentam se juntar a Madureira pra ganhar alguma fama, mesmo que negativa. Dominados pelo tráfico.

Penha: Tem um belo ponto turístico, a Igreja da Penha, que é acessível pelo Parque Shangai. Caso você consiga passar por ele sem ser assaltado ou atingido por uma bala perdida, dá orgulho ver do alto da Igreja a imensa favela que a Penha é na verdade. Atualmente ganhou fama nacional por abrigar a favela Vila Cruzeiro. Que orgulho! Dominado pelo tráfico.

Parada de Lucas, Cordovil e Vigário Geral: Desculpem, estamos falando de bairros, e não de favelas. Dominadas pelo tráfico, por favelados e por comandantes de chacinas, fora as 'casas' que tiveram a sorte de ser pintadas embora já não seja possível identificar a cor da tinta, por causa das pichações.

Piedade: Conhecida por ter a primeira universidade do subúrbio, a Gama Filho, onde estudam os jovens mais inteligentes e nobres do país, mas que por ironia do destino não conseguiram passar na Estadual ou Federal. Dominado pelo tráfico.

Pilares: Conhecida por ser sede da rebaixada 'Caprichosos de Pilares', que se localiza embaixo de um viaduto mais usado como banheiro masculino. Resume-se apenas em um viaduto e muitas favelas. Dominado pelo tráfico.

Praça da Bandeira: Vila Mimosa, maior puteiro da cidade, dominado por cafetões e traficantes. Garage, vizinho à Vila Mimosa, maior concentração de bares, roqueiros sujos e drogados da região. Dominado pelo tráfico.

Praça Seca: Lugar decadente e pobre que só mantém o nome. Se transformou num campo minado, onde você corre risco a todo momento de ser baleado pelas centenas de favelas que a rodeiam. Dominada pelo tráfico.

Ramos: Sede do Privadão, digo, Pinicão, oops , Piscinão de Ramos, onde as magnatas famílias da região se encontram para sua confraternização ('surrasquim' de domingo) e prática de esportes, como tiro ao alvo, arremesso de bosta e mergulho de cadáver. Dominado pela caixa baixa.

São Conrado: Abriga uma das maiores favelas do mundo, a Rocinha. Embora os cegos moradores do bairro falem que a Rocinha é um bairro à parte de São Conrado ou ainda tentem empurrá-la para a Gávea ou mesmo pra Barra e pro Leblon. Qualquer virtude do bairro é suja pela Rocinha. Dominado pelo tráfico.

Tijuca: Uma favela da Zona Norte habitada por gente da classe média e cercada de favelas habitadas por gente miserável. Composta de pseudo-revolucionários e prostitutas, além de socialistas, comunistas e anarquistas. Os tijucanos podem ser facilmente reconhecidos por
tentarem imitar as pessoas da alta sociedade da Zona Sul, dizendo serem parte 'Zona Sul da Zona Norte' quando na verdade fazem parte dos chamados 'cariocas de trás dos montes' (sem saneamento básico ou expectativa de vida). Sua mais nova invenção está em chamar a praça do Buxixo de Baixo Tijuca, imitação deprimente do Baixo Gávea. Dominado pelo tráfico

Todos os Santos: Uma verdadeira farsa, pois nunca ninguém relatou estadia ou passagem por esse bairro. Segundo a lenda, ele fica localizado entre o Méier, o Cachambi e o Engenho de Dentro. Seu único registro são fósseis de uma pré-histórica estação ferroviária desativada. Dominado pelo tráfico.

Urca: Tem cheiro e aparência das música de introdução das novelas do Manoel Carlos. É um local frequentado por alpinistas-escaladores, que escalam na verdade procurando a todo custo encontrar um novo local pra fundar uma favelinha ali no morro do Pão de Açúcar ou tentam entrar na boate 'Noites Cariocas' (dominada pelo tráfico) sem pagar a entrada ou
o bondinho. Dominado pelo tráfico.

Vicente de Carvalho: Ninguém o considera, todos pensam ser integrante de Irajá, Vila da Penha ou mesmo Madureira, mas na verdade essa bosta existe e possui o maior concentrador de 'favelados que não tem o que fazer e vão ver as vitrines, tomar uma casquinha no McDonalds e não comprar porra nenhuma': o Carioca Shopping, que está sempre lotado. Dominado pelo tráfico.

Vila Isabel: É uma reta que só tem boteco, casa de vila, outro boteco, um prédio, outro boteco, e por aí vai. Os moradores afirmam que CEDAE distribui cerveja nesse bairro, ao invés de água. É um bairro nobre, pois é habitado pelos ex-moradores do morro dos Macacos mais bem-sucedidos, sendo servido por tiroteios com fuzis dos melhores calibres. O tráfico não domina este bairro, pois o tráfico surgiu em Vila Isabel, entre uma rodinha de samba e outra.

Vila da Penha: É um bairro do bem: bem sujo, bem mal frequentado, bem mal habitado e bem criminalizado. Ainda existem uns 10 moradores que acham que a Vila da Penha não possui favelas por perto. Junto com o Méier, Jacarepaguá e os terrenos no céu do Bispo Macedo, forma o grupo das maiores enganações Imobiliárias cariocas de todos os tempos. Habitada por gente de quinta com automóveis de sexta. Dominadíssima pelo tráfico.

Vila Valqueire: Um bairro nos confins do subúrbio habitado por uma gente pobre que quer dar uma de bacana só por não estarem na merda total que estão seus vizinhos Jacarepaguá, Campinho, Oswaldo Cruz, Bento Ribeiro e Marechal Hermes. Numa cegueira imensa, dizem não haver favelas no bairro, embora ele esteja recheado por elas. Dominado pelo tráfico.

Alguns são meio exagerados, mas todos tem um fundinho de verdade...

Beijos.

38 comentários:

  1. MARAVILHOSO. ADOREI.
    Pq finalmente encontrei alguém que não é cega, e que escreveu a VERDADE DOA A QUEM DOER.
    Eu também não agüento mais tanta gente TAPADA por metro quadrado.

    ResponderExcluir
  2. Acho que você perdeu uma ótima oportunidade de economizar espaço útil no seu blog, porque tudo que está escrito aí é a mais pura forma de preconceito, racismo (principalmente) e falta de informação atualizada. É certo que todos os bairros tem problemas, mas o que você faz para amenizá-los ou resolvê-los? A julgar por essa crônica, NADA! Então...posso supor que nem você nem ninguém tem moral para criticar ou julgar o lugar onde as pessoas moram por opção (ou falta dela).
    Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONCORDO PLENAMENTE C VC...JÁ AGORA ELA PODIA IDENTIFICAR P NÓS O BAIRRO QUE MORA...P SABERMOS A BOSTA EM QUE HABITA KKKKKK

      Excluir
  3. nunca li tanta besteira em um blog, entretanto disse o qu muita gente na tem coragem de dizer...

    ResponderExcluir
  4. faltou vista alegre

    ResponderExcluir
  5. Faltou o Recreio uahuahahaua que eu amo :p
    mas ficou muiiito bom uahuaha claro que exagerado, mas a ideia era divertir e eu acho que poucas vezes ri tanto na vida uahauauhauahhua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Sim, a ideia era essa... E talvez tenha faltado o Recreio porque ele é tão longe que nem seja mais considerado Rio (brinks!) rsrs!
      Abraços!

      Excluir
  6. Kkkkkkkkk só uma pequena correção, vila valqueire faz parte de Jacarepaguá, faltou recreio, são Cristóvão, Benfica, caju kkkkkk obrigado pelas risadas as 23:30 da noite kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, faltaram vários... Recebi o texto e publiquei aqui! Que bom que ele serviu pra te alegrar! :-)

      Abraços!

      Excluir
  7. Vc é imbecil por inteiro.... Fico me perguntando: " que tipo de cafifo VC vive"?... Quem desdenha quer comprar!...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou carioca e moro no mesmo bairro, da Zona Norte há um bom tempo. É obvio que ele tem problemas. Esse texto eu recebi por email e achei engraçado, inclusive fazendo graça com o bairro que moro...

      Excluir
  8. Muito bom ! Hahahahahahahag
    Moro no estado de SP, mas amo o Rio !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nasci e moro aqui no Rio, adoro o Rio, mas ainda assim consigo achar graça nesse post. Fico feliz de ter gente que também entenda que isso é só uma piada. Que todos os bairros têm coisas boas e coisas ruins e sim, infelizmente, estão todos tomados pela violência.

      Bjs!

      Excluir
  9. Olá, boa noite! Entendo vc e sua preocupação com sua cidade. Mas, como aqui no Brasil nehum estado é totalmente limpo e honesto. Todos são iguais só mudam as regioes. Para mim, o Rio ainda q esteja cheinho do merda e traficantes, eu vou continuar amando.... tanto o Rio quanto os cariocas pq, Ô lugar pra ter homens lindos e gostosos!!!!Beijossssssssss, pra todos os cariocas maneirossssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha, eu concordo. O Rio é cheio de problemas, mas também cheio de pessoas muito legais!
      Abraços!

      Excluir
    2. O RJ é uma bosta mesmo Cinthya!Concordo! Kkkkkkkkk

      Excluir
    3. Oxeeee, também não é assim né!?
      Abraços!

      Excluir
  10. Faltou sulacap! bom melhor nem falar..
    Kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkkkkkkkkkkk cinthya atualiza com sulacap

      Excluir
    2. Eu recebi o texto e publiquei mas também nem conheço Sulacap! Rsrs!

      Bjs!

      Excluir
  11. Nossa! A principio pensei que fosse ler algo sério sobre o bairro no qual vou trabalhar e preciso morar(caro pra caramba) que mesmo agora que a situação financeira melhorou não vou gastar tudo em aluguel pra dizer que moro no Valqueire.Moro em Jacarepaguá que está mais chique com um transito que só Jesus.Pelo meu bem, vou ficar entre Sulacap e Valqueire. Quero saber de onde alguém tira 580.000 pra comprar um apertamento?.Foi desabafo né? Esta tudo ruim,mas estaria pior se eu ficasse como muitos estão, sem casa e por isso, vira favela.Dou graças a Deus.Poderia ser pior.O texto só tem coisa ruim e não vi nada de bom humor nisso!Poderia falar tudo, e ser mais leve e divertido, fez mal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elizabeth, a ideia era exagerar os problemas de cada bairro. Não é para levar a sério. É uma piada. Como já disse aqui acima, moro no mesmo bairro da zona norte do Rio há séculos e, tal qual, todos os bairros, ele tem problemas, principalmente de segurança.

      Abraços.

      Excluir
  12. Achei o texto interessante. É lógico que há exagero, mas se vê que o objetivo é este mesmo. Não entendo o porquê de alguns comentários raivosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AS descrições são todas MUITO exageradas, mas essa é a graça da "piada".
      Eu também não entendo o ódio destilado a mim nesse post específico.
      Abraços.

      Excluir
  13. Péssimo, só sabe falar mal do RJ e suas regiões, engraçado em qual lugar você mora?Deve morar no pior bairro do Rj e quer falar mal das outras...
    Moro em Campo Grande, e me orgulho muito daqui, Graças a Deus quase nunca se passa péssimas noticias daqui, ao contrário de outras. Mas o que poderia servir de informação pra ajudar alguém, acabou sendo um blog a menos pra acompanhar. Infelizmente são poucos que caem na sua de que todos os bairros são ruins!!!
    Aprenda a respeitar sua cidade, e mostrar que existe lugar bom sim... Assim você não colabora pra um lugar melhor. Já ouviu um ditado que não me lembro bem, mas é alguma coisa assim : Se você quer o bem, comece por você.
    Bjus pra você e vê se melhora seu blog meu bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol,
      Esse post é uma piada. Ele não é pra ser levado a sério. Eu moro em um dos bairros da Zona Norte aí citados. E é óbvio que ele é exagerado. E, como todos os bairros, ele tem problemas e também tem coisas boas. Que bom que você se orgulha e gosta de onde vive. Isso é ótimo. Eu respeito a minha cidade a ponto de conseguir fazer graça com ela.
      Abraços.

      Excluir
    2. Hahhahahahhaha cinthya foi bem engraçado

      Excluir
  14. kkkk vc ainda responde, salva o texto resposta e cola! Gostei! ri muito e amo o Rio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Wair! Eu respondo sim.
      Acho que se a pessoa se dignou a vir aqui comentar, merece a minha resposta, mesmo que seja pra dizer a mesma coisa: é só uma piada. Eu também AMO o Rio. É onde eu nasci e fui criada e nem por isso deixei de rir das tragiômicas descrições do texto.
      Obrigada pelo comentário e por compartilhar do amor pelo Rio!

      Beijos!

      Excluir
  15. Boa tarde:

    Tais definições estão para ESCULACHO como para COMÉDIA!
    E há uma grande razão nisso...
    Sou de lá (ou daí); resido no RS há tempos - e devem ver da violência que aqui impera (semana passada várias mortes. Até o EXERCITO está sendo convocado). O Estado está sucateado/triste _ pois quando vim morar aqui as coisas eram bem mais fáceis.
    Sobre o RJ: difícil haver alguma parte segura, como no país em si. Morei no LEBLON (nem sei pq babam tanto ovo deste. Prefiro IPANEMA) e desde os anos 70 & 80 já era perigoso. Depois no JB (só valia pena vista do CORCOVADO). Longe de tudo. Até uma vez meu prédio foi assaltado pelo CV (1989).
    Fora que as coisas são longe, caras: e fora a malandragem.
    Gozado que aqui é o contrário: ZONA ZUL com bairros menos favorecidos, junto ao rio Guaíba (ou LAGO). Já ZONA NORTE - perto do CAIS; e onde se encontra o CENTRO (neste só frequentar em extrema necessidade).
    Citavam o bairro MÉIER no chocante VAI QUE COLA. Defendiam o Leblon. Poderia haver outros bairros.

    Valeu,
    Rodrigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... e aki o termo para SOLDADOS, GUARDAS: BRIGADIANOS. Alguns foram daki para os tais eventos olímpicos. E ainda bem que terminaram. Só abordavam isso. Além de COPA DO MUNDO (onde POA teve a ver!).

      Excluir
  16. Nao da pra rir de um post que chama os moradores de muitos bairros de prostitutas, viciados e outras ofensas. Isso não dá nem pra chamar de humor negro. Achei de péssimo gosto seu post. Vc nao fala só do Rio. Vc rotula pessoas como favelados q não tem o q fazer e que vão tomar um casquinha no Mcdonalds. Jura q falar isso de alguém é engraçado? Muito preconceito embutido nesse texto e sinceramente se não foi vc quem criou então deveria ter mais responsabilidade com a postagem. E muitos dizendo...nossa falou tudo..nossa falou a verdade. Não, nao falou não. O trafico esta em toda parte sim mas nao concordo q os bairros são imundos, horríveis, com gente horrível. Tem problemas sim...mas nao merecem tantas ofensas para servirem de graça.

    ResponderExcluir
  17. Muito bom. Nada de exageros, a mais pura verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um bocado exagerado sim, mas ainda assim, é somente uma piada. Não é pra ninguém se sentir ofendido...

      Abraços!

      Excluir
    2. ADOREI!!! A política precisa de pessoas assim! Muito bem escrito! Nada de exagero!
      Acho que foi muito polida e generosa... Nem falou dor travestis e camelos do bairro da Glória. Se eu fosse prefeito daria uma secretaria porque conhece muito bem a cidade. Hoje temos o Cristo o Pão de açúcar e o museu do amanhã e acabou o Rio. Não sei o que alguém pode querer ir fazer no Arco da Lapa um lugar calor feio e cheio de pivetes e a um passo da Glória com aquelas faixadas horrorosas que são tombadas e não podem ser demolidas. Autora peituda que não tem medo se ser esculaxada e fala exatamente a verdade. E tem idiota que diz - Não gostou vá embora do Rio!Ou então - Não fale de minha cidade! Mas são essas criticas que abrem os olhos dos idiotas que moram em um inferno e acham que moram na cidade maravilhosa. Meus parabéns!

      Excluir
  18. Adorei!
    Faltou falar além do Recreio, daqui das Guaratibas: Ilha de Guaratiba, Barra de Guaratiba, Guaratiba e Pedra de Guaratiba. Se você não conhece, não se preocupe, a descrição é simples: gente pobre, feia e mal-educada metida a besta pq (acha) que mora perto de praia, mas pessoal da Baixada chega mais rápido à qualquer praia do Rio do que esses pobres guaratibanos. Longe de tudo, longe pra caralho, cú do Judas, 3 horas pra chegar em qualquer outro bairro do Rio. Transporte público caro e escasso. Só tem mato e nenhuma opção de lazer, além das distantes praias que ainda são limpas e trilhas no meio do matagal. Geral acha que é tranquilo, mas é tudo fachada. Controlado pela milícia.
    rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, Talita, eu não conheço mas não duvido que a situação esteja ruim também por lá, tal qual, no Rio de Janeiro inteiro, né?

      Abraços,
      Cinthya.

      Excluir

Olá! Sinta-se à vontade para comentar!